Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos Ana Karolynne Goncalves

Síndrome de Cotard – Causas, Sintomas e Tratamentos

Gostou do post? Avalie!

Síndrome de Cotard – Causas, Sintomas e Tratamentos que não devemos ignorar. Além disso, a Síndrome de Cotard também conhecida como síndrome do cadáver ambulante, é uma condição médica na qual o indivíduo acredita estar morto ou que seus órgãos não estejam mais funcionando ou necrosados, ou ainda, de que seus familiares, amigos ou o mundo que o rodeia não existem mais. Foi no ano de 1880, que o caso de uma mulher de 43 anos que sofria de uma forma grave de melancolia ansiosa, com um delírio hipocondríaco incomum caracterizado pela convicção da não-existência dos seus órgãos.

Síndrome de CotardDesde então, diversos casos semelhantes têm sido descritos na literatura. Todavia, não se conhece ao certo a etiologia da Síndrome de Cotard, sendo que, atualmente, nem é contemplado pelos sistemas internacionais de classificação de doenças. Esta condição pode apresentar diferentes graus de gravidade. Nas formas brandas, os pacientes demonstram sentimento de desespero, enquanto que nas formas mais severas, os doentes negam a própria existência ou a existência do mundo.

O fato de o paciente acreditar, delirantemente, que está morto, que está em estado de decomposição ou que já apodreceu, evidencia um pensamento depressivo, sendo que sua descrição clássica relaciona-se com quadros melancólicos, hoje em dia conhecidos como transtorno de humor unipolar.

Assim como todos os outros problemas psiquiátricos, não existe sintoma característico somente de uma doença, podendo também essa condição ser descrita em casos de esquizofrenias, psicoses, em indivíduos que fazem uso de drogas, entre outros. Também pode estar associada à síndrome de Capgras. A terapêutica é feita por meio do uso de antidepressivos tricíclicos e serotoninérgicos, somados a sessões de terapia eletroconvulsiva (TEC, ou simplesmente choques elétricos).

Causas da Síndrome de Cotard: As causas da Síndrome de Cotard associam-se com atrofias cerebrais, esquizofrenia, transtorno bipolar e até mesmo depressão. A Síndrome de Cotard não tem cura e mesmo que não exista uma maneira certa de evitá-la, é de suma importância ter cuidado com a saúde mental consultando psicólogos se constatar problemas de ansiedade que geram crises do sono, transtornos diversos e até mesmo depressão.

Ainda há uma série de mistérios sobre a mente humana, mas uma coisa é certa: é muito perigoso ignorar e deixar de tratar inquietações, por menor que sejam. Como identificar os sintomas. Alguns sintomas que ajudam a identificar este transtorno são:

  • Acreditar que se está morto;
  • Mostrar ansiedade frequentemente;
  • Ter sensação de que os órgãos do corpo estão apodrecendo;
  • Sentir que não se pode morrer, porque já se morreu;
  • Ser uma pessoa muito negativa;
  • Ter insensibilidade à dor;
  • Sofrer alucinações constantes;
  • Ter tendência suicida.

Além destes sinais, quem sofre com esta Síndrome de Cotard pode ainda sentir o cheiro a carne podre que sai do seu corpo, devido à ideia de que os seus órgãos estão apodrecendo. Em alguns casos, os pacientes também podem não se reconhecer no espelho, nem conseguem identificar familiares ou amigos, por exemplo.Síndrome de CotardTratamento Síndrome de Cotard: Como fora informado, a Síndrome de Cotard não tem cura, mas os impactos negativos podem ser minimizados mediante o tratamento com medicações e algumas técnicas específicas.

O médico poderá recomendar o uso de antidepressivos, estabilizadores de humor e antipsicóticos e nas ocorrências mais sérias há possibilidade de aliar o uso de fármacos às sessões de choques elétricos no cérebro e terapia eletro convulsiva. Mesmo que tais práticas não acabem com a Síndrome de Cotard, os efeitos são minimizados.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Sobre o autor | Website

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal de Maranhão(UFMA), do CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal de Maranhão(UFMA). Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.