Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos Ana Karolynne Goncalves

Púrpura – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

NUTRIÇÃO - CRN6-MA 16199

Gostou do post? Avalie!

Púrpura – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos desta condição. Além disso, a Púrpura é o nome que se dá às manchas e a placas de cor roxa que ocorrem na pele, órgãos e membranas mucosas – incluindo o revestimento da boca.

PúrpuraA deficiência dessas unidades está por trás dos principais sintomas da Púrpura, que, diga-se, nem sempre são comuns: manchas avermelhadas na pele, hematomas que não tenham sido motivados por pancadas, sangramentos espontâneos na gengiva, nas narinas, na urina e nas fezes, e, entre as mulheres, quadro de menstruação intensa.

Causas da Púrpura: Existem dois tipos de Púrpura: não trombocitopênicos e trombocitopênicos. Não trombocitopênico significa que você tem níveis normais de plaquetas em seu sangue. Trombocitopênico significa que você tem uma contagem de plaquetas inferior ao normal.

O seguinte pode causar Púrpura não trombocitopênica:

  • Perturbações que afetam a coagulação do sangue;
  • Certos distúrbios congênitos, presentes no nascimento ou antes, como a telangiectasia (pele frágil e tecido conjuntivo) ou a síndrome de Ehlers-Danlos;
  • Certos medicamentos, incluindo esteróides e aqueles que afetam a função plaquetária;
  • Vasos sanguíneos fracos;
  • Inflamação nos vasos sanguíneos;
  • Escorbuto, ou uma grave falta de vitamina C.

O seguinte pode causar Púrpura trombocitopênica:

  • Medicamentos que impedem a formação de plaquetas ou que interferem com a coagulação normal;
  • Drogas que levam o corpo a iniciar uma reação imune contra as plaquetas;
  • Transfusões de sangue recentes;
  • Distúrbios imunológicos, como a Púrpura trombocitopênica idiopática;
  • Uma infecção na corrente sanguínea;
  • Infecção pelo HIV ou hepatite C, ou algumas infecções virais (Epstein-Barr, rubéola, citomegalovírus);
  • Febre picada das Montanhas Rochosas (de uma picada de carrapato);
  • Lúpus sistêmico eritematoso.

Sintomas da Púrpura: Os Principais sintomas da Púrpura são manchas roxas na pele e mucosas, de aparecimento pós-traumático ou espontâneo. Nas pernas e coxas de mulheres e crianças essas manchas podem aparecer mesmo sem traumatismos ou com traumatismos de mínima intensidade.

Com o passar do tempo, essas manchas vão mudando suas tonalidades e passam do roxo ao marrom e ao amarelado, até desaparecerem. A Púrpura trombocitopênica idiopática pode permanecer assintomática por certo tempo se a queda de plaquetas não as leva abaixo de 50.000/ml.

Porém, abaixo disso, além das manchas roxas na pele e/ou mucosas também podem ocorrer epistaxe (sangramento pelo nariz), sangramento nas gengivas ou gastrointestinais e no trato urinário, bem como dores nas pernas e articulações, junto com hemorragias ou coagulação mais lenta do sangue. Mais raramente, ocorrem edemas e dores nas pernas e hemorragias menstruais. Na Púrpura trombocitopênica idiopática pode ocorrer aumento do baço (esplenomegalia), mas é muito raro que isso aconteça.

Diagnósticos da Púrpura: Seu médico examinará sua pele para diagnosticar a Púrpura. Eles podem perguntar sobre sua família e histórico de saúde pessoal, como quando as manchas apareceram pela primeira vez. O seu médico também pode realizar uma biópsia da pele, além de testes de contagem de sangue e plaquetas.

Esses testes ajudarão a avaliar se a Púrpura é ou não resultado de uma condição mais séria, como uma doença plaquetária ou sanguínea. Os níveis de plaquetas podem ajudar a identificar a causa da Púrpura e ajudarão seu médico a determinar o melhor método de tratamento.

A Púrpura pode afetar crianças e adultos. As crianças podem desenvolvê-lo após uma infecção viral e geralmente podem se recuperar completamente sem qualquer intervenção. A maioria das crianças com Púrpura trombocitopênica se recupera completamente em vários meses após o início do transtorno. No entanto, em adultos, a Púrpura é geralmente crônica e requer tratamento para ajudar a gerenciar os sintomas e manter a contagem de plaquetas dentro de um intervalo saudável.

Tratamentos da Púrpura: O tipo de tratamento que seu médico irá prescrever dependerá da causa da Púrpura. Adultos diagnosticados com Púrpura trombocitopênica leve podem se recuperar sem qualquer intervenção.

Você precisará de tratamento se a desordem não desaparecer por conta própria. Os tratamentos incluem medicamentos e às vezes uma esplenectomia, ou cirurgia para remover o baço. Você também pode pedir que pare de tomar medicamentos que prejudiquem a função plaquetária, como aspirina, diluentes e ibuprofeno.

Corticosteroides: Seu médico pode iniciá-lo em um medicamento com corticosteroides, o que pode ajudar a aumentar sua contagem de plaquetas, diminuindo a atividade do seu sistema imunológico. Normalmente, demora cerca de duas a seis semanas para a sua contagem de plaquetas para retornar a um nível seguro. Quando o fizer, seu médico interromperá o medicamento.

É importante falar com seu médico sobre os riscos de tomar corticosteróides por longos períodos de tempo. Isso pode causar sérios efeitos colaterais, como ganho de peso, catarata e perda óssea.

Imunoglobulina Intravenosa: Se a sua Púrpura está causando sangramento grave, seu médico pode dar-lhe uma medicação intravenosa chamada imunoglobulina intravenosa (IVIG). Eles também podem dar-lhe IVIG se você precisar aumentar sua contagem de plaquetas rapidamente antes da cirurgia. Esse tratamento geralmente é efetivo no aumento da contagem de plaquetas, mas o efeito geralmente é apenas no curto prazo. Pode causar efeitos colaterais como dor de cabeça, náuseas e Febre.

Outras terapias medicamentosas: As últimas drogas usadas para tratar Púrpura são romiplostim (Nplate) e eltrombopag (Promacta). Esses medicamentos causam medula óssea para produzir mais plaquetas, o que reduz o risco de hematomas e hemorragias. Os efeitos secundários potenciais incluem:

  • Dores de cabeça;
  • Tontura;
  • Náusea;
  • Dor articular ou muscular;
  • Vômito;
  • Risco aumentado de coágulos sanguíneos;
  • Síndrome da insuficiência respiratória aguda;
  • Gravidez.

A terapia biológica, como a droga rituximad (Rituxan), pode ajudar a diminuir a resposta do sistema imunológico. É principalmente usado para tratar pacientes com Púrpura trombocitopênica grave e pacientes para os quais o tratamento com corticosteroides não é efetivo. Os efeitos secundários podem incluir:

  • Pressão sanguínea baixa;
  • Dor de garganta;
  • Erupção cutânea;
  • Febre;
  • Esplenectomia.

Se os medicamentos não forem eficazes no tratamento da Púrpura, o seu médico pode recomendar uma esplenectomia. Remover o baço é uma maneira rápida de aumentar a contagem de plaquetas. Isso ocorre porque o baço é a principal parte do corpo responsável pela eliminação de plaquetas.

No entanto, as esplenectomias não são eficazes em todos. A cirurgia também vem com riscos, como um aumento permanente do risco de infecção. Em situações de emergência, quando a Púrpura causa sangramento extremo, os hospitais realizarão transfusões de concentrados de plaquetas, corticosteroides e imunoglobulina.

Uma vez que o tratamento é iniciado, seu médico irá monitorar sua contagem de plaquetas para ajudar a determinar se é ou não eficaz. Eles podem mudar seu tratamento dependendo da sua eficácia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Sobre o autor | Website

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal de Maranhão(UFMA), do CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal de Maranhão(UFMA). Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.