Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos Ana Karolynne Goncalves

Convulsão – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

NUTRIÇÃO - CRN6-MA 16199

Especialista do Dicas de Musculação

Convulsão – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos
Gostou do post? Avalie!

Convulsão – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos que todos devem fica atento. Além disso, a Convulsão é um distúrbio que se caracteriza pela contração muscular involuntária de todo o corpo, ocasionada por aumento excessivo da atividade elétrica discriminada em específicas áreas cerebrais. Então, entenda tudo sobre Convulsão – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos:

ConvulsãoO que é Convulsão: Uma Convulsão ocorre quando há uma atividade elétrica anormal do cérebro. Essa atividade anormal pode passar despercebida ou, em casos mais graves, pode produzir uma alteração ou perda de consciência acompanhada de espasmos musculares involuntários – que é definido como crise convulsiva ou Convulsão. As convulsões geralmente vêm de repente e variam em duração e gravidade. A Convulsão pode ser um evento único ou acontecer repetidas vezes. Crises recorrentes caracterizam o diagnóstico de epilepsia.

Causas da Convulsão: Todos os tipos de Convulsão são causados pela atividade elétrica desorganizada e súbita do cérebro. Entre as causas mais frequentes estão:

  • Níveis anormais de sódio ou glicose no sangue
  • Infecção cerebral, incluindo meningite
  • Lesão cerebral que ocorre ao bebê durante o parto ou nascimento
  • Problemas cerebrais que ocorrem antes do nascimento (defeitos cerebrais congênitos)
  • Tumor cerebral
  • Asfixia
  • Abuso de drogas
  • Choque elétrico
  • Febre (especialmente em crianças pequenas)
  • Febre alta
  • Lesões na cabeça
  • Doença cardíaca
  • Doenças relacionadas ao calor (ver intolerância ao calor)
  • Drogas ilícitas, como o pó de anjo (PCP), cocaína, anfetaminas
  • Insuficiência renal ou hepática
  • Nível baixo de açúcar no sangue
  • Fenilcetonúria (PKU), que pode provocar ataques em bebês
  • Envenenamento
  • AVC
  • Toxemia de gestação
  • Uremia relacionada à insuficiência renal
  • Pressão sanguínea muito alta (hipertensão maligna)
  • Picadas e ferroadas de animais peçonhentos
  • Utilização de drogas ilícitas, como cocaína e anfetaminas
  • Suspensão de álcool após ter ingerido grandes quantidades na maioria dos dias
  • Suspensão de certas drogas, incluindo alguns analgésicos e pílulas para dormir
  • Suspensão de benzodiazepínicos.

Sintomas da Convulsão: As Convulsões normalmente causam perda de consciência, seguida de queda e contrações musculares intensas. Pode ocorrer também a eliminação de fezes e urinas, os dentes podem travar, a salivação aumentar consideravelmente e a vítima tornar-se pálida e com lábios azulados. Após o episódio convulsivo, o paciente pode retornar com confusão mental, sem compreender o que aconteceu e com grande sonolência.

  • Epilepsia.
  • Febre alta em crianças com menos de quatro anos de idade.
  • Distúrbios hidro eletrolíticos.
  • Abstinência de álcool ou drogas.
  • Uso de drogas.
  • Infecções, como a meningite.
  • Traumatismo cranioencefálico.
  • Tumores cerebrais.

Quais São os Tipos de Convulsão Existentes: As Convulsão podem ser de dois tipos: parciais ou generalizadas. As Convulsões parciais, também chamadas de focais, são aquelas que atingem apenas um hemisfério do cérebro. As generalizadas atingem os dois hemisférios cerebrais e, obrigatoriamente, ocorre perda de consciência.

Proceder em Casos de Convulsão: Quando o assunto é Convulsão, vários mitos envolvem a maneira de lidar com o problema. Apesar de bastante conhecidas, algumas ações não devem ser realizadas, tais como tentar abrir a boca do indivíduo, jogar água sobre a vítima, tentar segurá-la ou fazê-la cheirar álcool e outros produtos.

Em casos de Convulsão, o Procedimento Deve ser Apenas:

  • Colocar o indivíduo que está convulsionando com a cabeça de lado para evitar engasgos.
  • Proteger a cabeça da vítima, colocando, por exemplo, uma almofada para apoio.
  • Afrouxar as roupas da pessoa que está convulsionando e retirar objetos como óculos e anéis.
  • Tentar retirar objetos próximos à vítima que possam causar alguma lesão, como objetos cortantes.
  • Levar o paciente, após a crise, ao médico para que possa avaliar a gravidade da Convulsão e procurar as causas do problema. Dependendo do caso, faz-se necessária a
  • utilização de medicamentos para evitar novas crises.

Prevenção da Convulsão: Em muitos casos, uma Convulsão não pode ser evitada. No entanto, a manutenção de um estilo de vida saudável pode lhe dar a melhor chance de reduzir o seu risco. Isto inclui dormir bem, comer uma dieta saudável e fazer exercícios regularmente.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Sobre o autor | Website

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal de Maranhão(UFMA), do CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal de Maranhão(UFMA). Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos, e também atuo como editor no site Dicas de Musculação, utilizando todo meu conhecimento para trazer qualidade de vida para nossos leitores.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.