Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos Ana Karolynne Goncalves

Coceira Vaginal – O que é, Causas e Sintomas

Gostou do post? Avalie!

Coceira Vaginal – O que é, Causas e Sintomas que muitas mulheres ignoram. Além disso, a Coceira Vaginal é um incômodo presente na vida de muitas mulheres, e pode indicar desde uma simples alergia até a presença de doenças mais graves, como DSTs.

Coceira VaginalA Coceira Vaginal é um sintoma incômodo e às vezes doloroso que muitas vezes ocorre devido a substâncias irritantes, infecções ou menopausa. A Coceira Vaginal pode ser causada pela presença de algum fungo ou bactéria e o sintoma da Coceira Vaginal pode vir acompanhado de inchaço e de corrimento. Muitas vezes, a causa da Coceira Vaginal é a candidíase, uma doença causada pelo desequilíbrio dos fungos que, normalmente, habitam esta região.

Causas da Coceira Vaginal: A Coceira Vaginal, também chamada de prurido vulvar, é uma queixa bastante comum, que pode surgir em mulheres de qualquer idade, sejam elas sexualmente ativas ou não.

Embora o prurido vulvar seja um sintoma clássico de infecções vaginais, principalmente de candidíase vaginal, existem várias outras situações que podem causar a Coceira Vaginal, incluindo alergias e reações a produtos químicos irritantes. Veja algumas possíveis causas da Coceira Vaginal:

Candidíase Vaginal: A Candidíase vaginal é uma infecção fúngica causadas por um fungo chamado Candida Albicans. Um dos sintomas da Candidíase Vaginal é um corrimento vaginal branco. Estas infecções podem ser causadas por antibióticos, pílulas anticoncepcionais, gravidez, menstruação, uso de preservativos, sexo, diabetes e um sistema imunitário enfraquecido.

Alergias: Alergias a produtos químicos irritantes, como sabonetes, detergentes e amaciadores, spray femininos, pomadas, cremes, espumas anticoncepcionais ou geleias, são uma das causas da Coceira Vaginal.

Menopausa: Uma das possíveis causas da Coceira Vaginal pode ser devido à menopausa, isto porque durante a menopausa a diminuição do estrogênio provoca um afinamento da parede vaginal e uma menor lubrificação.

Vaginite: Inchaço, Coceira Vaginal, secreção e mau cheiro causado por outras infecções (incluindo as doenças transmissíveis sexualmente). A Vaginite é muito comum nas jovens antes da puberdade. No entanto, se uma menina tiver uma infecção de transmissão sexual vaginal, estas devem ser consideradas e tratadas imediatamente.

Estresse: O estresse é também uma das causas que pode originar e aumentar a Coceira Vaginal e torná-la ainda mais susceptível a infecções.

Sintomas da Coceira Vaginal: Para descobrir se tem Coceira Vaginal, confira os sintomas mais comuns abaixo:

  • Dor ou sensação de queimação ao urinar.
  • Corrimento esbranquiçado com grumos, semelhante a leite talhado.
  • Vermelhidão e inchaço em toda a região íntima.
  • Corrimento amarelado ou esverdeado.
  • Placas esbranquiçadas na vagina.
  • Coceira que surge ou piora após usar algum tipo de calcinha, sabonete, creme, cera ou lubrificante na região íntima.
  • Presença de pequenas bolinhas na vagina ou pele áspera.

Fatores de Risco da Coceira Vaginal: O risco de contrair uma doença que cause Coceira Vaginal pode ficar aumentado por alguns fatores:

  • Uso de antibióticos. Estes medicamentos perturbam o equilíbrio normal entre leveduras e bactérias na vagina. Os antibióticos podem matar muito as “boas” bactérias e resultar em muita levedura crescendo na vagina, às vezes causando sintomas de uma infecção por fungos.
  • Ter uma condição que afeta sua imunidade, como diabetes mal controlada ou HIV. Tomar medicamentos corticosteroides, por vezes, também enfraquece o sistema imunológico e aumenta o risco de Coceira Vaginal.
  • Vestir calças ou roupas íntimas apertadas, que superaquecem a região vaginal.
  • Usar produtos de higiene íntima ou talcos perfumados na área vaginal.
  • Ducha vaginal frequente.
  • Chegada da menopausa.
  • Sexo com múltiplos parceiros ou parceiras.
  • Sexo sem proteção.

Como Evitar a Coceira Vaginal: Para evitar a Coceira Vaginal é indicado:

  • Usar roupa íntima de algodão, evitando materiais sintéticos que não deixam a pele respirar, facilitando o crescimento de fungos e assim causando a Coceira Vaginal;
  • Ter uma boa higiene íntima, lavando somente a região externa, com sabonete próprio para a região, mesmo após o contato íntimo;
  • Evitar o uso de calças muito justas, para impedir a elevação da temperatura local;
  • Utilizar preservativo em todas as relações, para evitar a contaminação com as DSTs.
  • Estes cuidados ajudam também a aliviar a irritação local e a diminuir a Coceira Vaginal, quando já existe. E, ainda, é recomendado evitar fazer uma alimentação com alimentos muito açucarados.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

comentários

Sobre o autor | Website

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal de Maranhão(UFMA), do CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal de Maranhão(UFMA). Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.