Dicas de Saúde Doenças e Tratamentos Ana Karolynne Goncalves

Câncer de Mama – O que é, Causas, Sintomas e Tratamento!

Revisado por

NUTRIÇÃO - CRN6-MA 16199

Gostou do post? Avalie!

Câncer de Mama – O que é, Causas, Sintomas e Tratamento são vitais para ter uma boa saúde. Além do mais, o Câncer de Mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil. Só neste ano, mais de 57 mil brasileiras vão começar a travar a batalha contra esse câncer. A cada quatro novos casos de câncer descobertos, um é de mama.

Ele é relativamente raro antes dos 35 anos. Acima desta idade, sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. A prevenção do Câncer de Mama não é totalmente possível em função da multiplicidade de fatores relacionados ao surgimento da doença e ao fato de vários deles não serem modificáveis.

O que é o Câncer de Mama: O Câncer de Mama se caracteriza pela proliferação anormal, de forma rápida e desordenada, das células do tecido mamário. A doença se desenvolve em decorrência de alterações genéticas. Porém, isso não significa que os tumores da mama são sempre hereditários. Em seu funcionamento normal, o corpo substituiu as células antigas por células novas e saudáveis. As mutações genéticas podem alterar a habilidade da célula de manter sua divisão e reprodução sob controle, produzindo células em excesso, formando o tumor.

Um tumor pode ser benigno (não perigoso para a saúde) ou maligno (tem o potencial de ser perigoso). Os benignos não são considerados cancerígenos: suas células têm aparência próxima do normal. Elas crescem lentamente e não invadem os tecidos vizinhos, nem se espalham para outras partes do corpo. Já os tumores malignos são cancerosos. Caso suas células não sejam controladas, podem crescer e invadir tecidos e órgãos vizinhos, eventualmente se espalhando para outras partes do corpo.

O Câncer de Mama consiste em um tumor maligno que se desenvolve a partir de células da mama. Geralmente, ele começa nas células do epitélio que reveste a camada mais interna do ducto mamário. Mais raramente, o Câncer de Mama pode começar em outros tecidos, tais como o adiposo e o fibroso da mama.

Autoexame de Mama: É muito importante que as mulheres, uma vez por mês, façam o autoexame da mama. O autoexame é uma medida importante para identificar nódulos de um possível Câncer de Mama. Esse procedimento é preventivo e deve ser realizado todos os meses, sempre após o período menstrual. É essencial estar atenta a alterações como retração da pele ou do mamilo, inchaços, assimetria, avermelhamento, secreção com sangue e gânglios que surgem nas axilas, crescentes ou não.

O autoexame não deve ser o único método preventivo, já que o Câncer de Mama pode ser imperceptível ao toque. Por isso, é indicado visitar anualmente o ginecologista e/ou mastologista para fazer os exames necessários, como a mamografia, ultrassonografia mamária e ressonância magnética.

Como fazer o autoexame da mama: Para realizar o autoexame da mama é importante fazer a avaliação em frente ao espelho, em pé ou deitada:

  • Frente ao espelho: Deve-se ficar nua em frente ao espelho e observar o tamanho, forma e cor das mamas, assim como inchaços, abaixamentos, saliências ou rugosidades. Primeiro, deixar os braços para baixo, depois levantar os braços e observar as mamas; por fim, coloque as mãos apoiadas na bacia, fazendo pressão para observar se existe alguma alteração na superfície da mama.
  • Autoexame em pé: Em pé, o melhor momento é quando a mulher está no banho com o corpo molhado e as mãos ensaboadas. Levante o braço esquerdo, colocando a mão atrás da cabeça e apalpe cuidadosamente a mama esquerda com a mão direita com movimentos circulares. Repita este passo para a mama do lado direito. Ao se apalpar é necessário que a mulher faça com os dedos da mão juntos e esticados em movimentos circulares em toda a mama e de cima para baixo. Depois pressiona-se os mamilos suavemente para observar se existe a saída de qualquer líquido
  • Autoexame deitada: Para fazer o autoexame deitada é preciso deitar e colocar o braço esquerdo na nuca, colocando uma almofada ou toalha debaixo do ombro esquerdo para ficar mais elevado e mais confortável. Apalpe a mama esquerda com a mão direita e depois faça o mesmo procedimento com a direita.

Tipos de Câncer de Mama:

Tipos Comuns de Câncer de Mama: 

  • Carcinoma Ductal In Situ: Também conhecido como carcinoma intradutal, é considerado não invasivo ou Câncer de Mama pré-invasivo.
  • Carcinoma Lobular In Situ: No carcinoma lobular in situ as células se parecem com as células cancerosas que crescem nos lobos das glândulas produtoras de leite, mas não se desenvolvem através da parede dos lobos.
  • Carcinoma Ductal Invasivo: Este é o tipo mais comum de Câncer de Mama. O carcinoma ductal invasivo (ou infiltrante) se inicia em um duto de leite, rompe a parede desse duto e cresce no tecido adiposo da mama.
  • Carcinoma Lobular Invasivo: O carcinoma lobular invasivo começa nas glândulas produtoras de leite (lobos). Assim como o carcinoma ductal invasivo pode se espalhar para outras partes do corpo.

Tipos Especiais de Carcinoma de Mama Invasivo: Existem alguns tipos especiais de Câncer de Mama que são subtipos do carcinoma invasivo. Alguns deles podem ter um prognóstico melhor do que o carcinoma ductal invasivo e incluem:

  • Carcinoma cístico adenoide.
  • Carcinoma metaplásico.
  • Carcinoma medular.
  • Carcinoma mucinoso.
  • Carcinoma papilífero.
  • Carcinoma tubular.

Alguns subtipos têm o mesmo ou talvez pior prognóstico do que o carcinoma ductal invasivo, e incluem:

  • Carcinoma metaplásico.
  • Carcinoma micropapilar.
  • Carcinoma misto (tem características de ducal e lobular invasivo).

Em geral, todos estes subtipos são tratados como carcinoma ductal invasivo.

Tipos menos comuns de Câncer de Mama:

  • Câncer de Mama Inflamatório: É rum tipo raro que representa cerca de 1 a 3% dos Câncer de Mama.
  • Doença de Paget: Este tipo de Câncer de Mama começa nos ductos mamários e se dissemina para a pele do mamilo e para a aréola. É raro, representando cerca de 1% dos casos de Câncer de Mama.
  • Tumor Filoide: É um tipo de tumor de mama muito raro, que se desenvolve no estroma (tecido conjuntivo) da mama, em contraste com os carcinomas, que se desenvolvem nos ductos ou lobos.
  • Angiosarcoma: Este tipo de Câncer começa nas células que revestem os vasos sanguíneos ou vasos linfáticos. Raramente ocorre na mama.

Causas do Câncer de Mama: O Câncer de Mama é um tipo de tumor maligno que se origina nas células mamárias. Esta doença afeta principalmente as mulheres, mas os homens também podem chegar a desenvolvê-la. Todo ano, milhares de mulheres morrem por causa desta doença, pois infelizmente, na maioria dos casos, ela é detectada quando já é tarde demais. Neste artigo iremos revelar as principais causas do Câncer de Mama que você deveria conhecer.

Com o avanço da medicina e da tecnologia, hoje em dia é possível tratar o Câncer de Mama, e a expectativa de vida aumentou consideravelmente. Entretanto, segue havendo um grande alerta, já que a falta de informação sobre a doença é, em grande parte, uma das razões para que ela não seja detectada a tempo. Como os fatores de risco e as causas do Câncer de Mama são chaves para a prevenção.

  • Idade e sexo
  • Antecedentes Familiares
  • Genética
  • Ciclo Menstrual
  • Antecedentes da Doença
  • Consumo de bebidas alcoólicas
  • Não ter Filhos ou ter Depois dos 30
  • Terapia com Hormônios
  • Obesidade
  • Radiação

Diagnóstico do Câncer de Mama: O Câncer de Mama é uma doença grave, mas que pode ser curada. Quanto mais cedo ele for detectado, mais fácil será curá-lo. Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de 1 centímetro (estágio inicial), as chances de cura chegam a 95%, segundo a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama – Femama. Quanto maior o tumor, menor a probabilidade de vencer a doença. A detecção precoce é, portanto, uma estratégia fundamental na luta contra o Câncer de Mama.

Se o diagnóstico precoce é a melhor estratégia, a principal arma para sair vitoriosa dessa luta é a mamografia, realizada uma vez por ano em todas as mulheres com 40 anos ou mais. É a partir dessa idade que o risco da doença começa a aumentar significativamente. A mamografia é o único exame diagnóstico capaz de detectar o Câncer de Mama quando ele ainda tem menos de 1 centímetro. Com esse tamanho, o nódulo ainda não pode ser palpado. Mas é com esse tamanho que ele pode ser curado em até 95% dos casos.

Sintomas do Câncer de Mama: O Câncer de Mama inicialmente é assintomático. As formas mais fáceis de se descobrir logo no início são por exames como mamografia, ultrassom ou ressonância magnética. O exame de toque também é importante, ao notar qualquer alteração na mama, agende uma consulta médica. Algumas alterações físicas das mamas podem ser indícios de Câncer de Mama. Quando há presença destes indícios, é possível que o Câncer de Mama esteja em um nível avançado. Fique de olho em alguns sintomas:

  • Dor ou inversão do mamilo
  • Vermelhidão ou descamação do mamilo ou da pele do seio
  • Aparecimento de nódulos (caroços) no seio ou na axilas, podendo apresentar dor ou não, serem duros e irregulares ou macios e redondos
  • Presença de secreção pelo mamilo, sanguinolenta ou não
  • Inchaço irregular em parte da mama, que pode ficar quente e vermelha.
  • Irritação ou retração na pele ou aparecimento de rugosidade semelhante à casca de laranja
  • Nos casos mais adiantados, é possível aparecer ulceração na pele com odor desagradável

Um caroço na mama não significa necessariamente Câncer de Mama. Grande parte dos nódulos mamários são cistos e adenomas benignos. As mamas se modificam naturalmente ao longo do ciclo menstrual, porém, ao notar as alterações e sintomas descritos acima, é essencial ser consultado rapidamente.

Breast Cancer awareness ribbons

Fatores de Risco Para Câncer de Mama: O Câncer de Mama e o câncer de forma geral não tem uma causa única. Seu desenvolvimento deve ser compreendido em função de uma série de fatores de risco, alguns deles modificáveis, outros não. O histórico familiar é um importante fator de risco não modificável para o Câncer de Mama. Mulheres  com parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) que tiveram a doença antes dos 50 anos podem ser mais vulneráveis.

Entre outros fatores de risco não modificáveis estão o aumento da idade, a menarca precoce (primeira menstruação antes dos 11 anos de idade), a menopausa tardia (última menstruação após os 55 anos), nunca ter engravidado ou ter tido o primeiro filho depois dos 30 anos.

Já os fatores de risco modificáveis bem conhecidos até o momento estão relacionados ao estilo de vida, como o excesso de peso e a ingestão regular (mesmo que moderada) de álcool. Alterá-los, portanto, diminui o risco de desenvolver a doença. No entanto, a adoção de um estilo de vida saudável nunca deve excluir as consultas periódicas ao ginecologista, que incluem a mamografia anual a partir dos 40 anos.

Prevenção do Câncer de Mama: A prevenção do Câncer de Mama pode ser dividida em primária e secundária: a primeira envolve a adoção de hábitos saudáveis, e a segunda diz respeito a realização de exames de rastreamento, a fim de fazer o diagnóstico precoce:

  • Exercícios: Um estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute apontou que adolescentes praticantes de exercícios físicos intensos diminuem as chances de sofrer de Câncer de Mama na fase adulta em até 23%. Nessa análise, a prática de atividade física deveria começar por volta dos 12 anos e durar por pelo menos dez anos para que a proteção contra a doença seja notada. Os exercícios são capazes de reduzir os níveis de estrógeno, hormônio relacionado ao risco de Câncer de Mama. A prática de exercícios também diminui o estresse e ajuda no controle do peso, fatores que também influenciam no desenvolvimento do tumor. É importante na prevenção do Câncer de Mama e na prevenção da recidiva.
  • Amamentação: mulheres que amamentam os seus filhos por, pelo menos, seis meses, têm 5% menos chances de desenvolver a doença. Quando a mulher amamenta, ela estimula as glândulas mamárias e diminui a quantidade de hormônios, como o estrógeno, da sua corrente sanguínea.
  • Dieta balanceada: Manter uma dieta adequada ajuda no controle do peso, na prevenção de doenças crônicas e melhora a saúde como um todo. Além disso, um corpo saudável trabalha melhor, prevenindo o surgimento de tumores. mulheres que consomem vegetais com frequência têm até 45% menos chances de desenvolver Câncer de Mama, de acordo com um estudo realizado pela Boston University. Alimentos como brócolis, mostarda, couve e hortaliças verdes são ricos em glucosinolatos, que são aminoácidos com um papel importante na prevenção e tratamento.
  • Estresse: mulheres que vivem uma rotina muito agitada e estressante têm quase o dobro de chances de desenvolver Câncer de Mama, quando relacionada a outros fatores de risco. Técnicas de respiração, meditação e relaxamento, praticadas em Tai Chi e ioga, ajudam a controlar o estresse e a ansiedade.
  • Álcool: O consumo de apenas 14 gramas de álcool por dia pode aumentar as chances de Câncer de Mama em 30%. O mecanismo de ação pelo qual o consumo de álcool aumenta esse risco ainda permanece desconhecido, mas sabemos que ele influencia as vias de sinalização do estrógeno.
  • Controle do peso: Ao atingir a menopausa, mulheres  com sobrepeso ou obesidade correm mais risco de desenvolver o tumor. E mais: o excesso de peso ainda aumenta as chances do Câncer de Mama ser mais agressivo.
  • Faça a mamografia: A maioria das mulheres devem começar a fazer mamografias anualmente após os 50 anos, mas, para quem tem histórico familiar de Câncer de Mama, o exame deve começar 10 antes do caso mais precoce na família. Assim se um parente próximo teve Câncer de Mama aos 40, é preciso começar a fazer mamografias anualmente a partir dos 30 anos. Fazer a mamografia anualmente em idade adequada pode reduzir a morte por Câncer de Mama em até 30%, segundo um estudo publicado na revista Radiology.

Tratamentos do Câncer de Mama: Existem vários tratamentos para o Câncer de Mama que dependem do tipo e do estágio da doença:

Tratamentos Locais: A terapia local visa tratar um tumor localmente, sem afetar o resto do corpo. Os tipos de terapia local utilizados para o Câncer de Mama incluem:

  • Cirurgia
  • Radioterapia.

Tratamentos Sistêmicos: A terapia sistêmica se refere ao uso de medicamentos que podem ser administrados por via oral, ou diretamente na corrente sanguínea para atingir as células cancerígenas em qualquer parte do corpo. Dependendo do tipo de Câncer de Mama, diferentes tipos de tratamentos sistêmicos podem seu usados, incluindo:

  • Quimioterapia.
  • Terapia hormonal.
  • Terapia alvo.

A maioria das mulheres  com Câncer de Mama fará algum tipo de cirurgia para retirar o tumor. Dependendo do tipo de Câncer de Mama e do estadiamento da doença, também precisará de outras formas de tratamento. Os esquemas de tratamento típicos estão baseados no tipo de Câncer de Mama, no estágio e em situações especiais:

  • Câncer de Mama invasivo (Estágios I a IV).
  • Carcinoma ductal in situ.
  • Carcinoma lobular in situ.
  • Câncer de Mama inflamatório.
  • Câncer de Mama durante a gravidez.

O esquema de tratamento de cada paciente dependerá também de outros fatores, como estado de saúde geral e preferências pessoais. Em função das opções de tratamento definidas para cada paciente, a equipe médica deverá ser formada por especialistas, como cirurgião, oncologista e radioterapeuta. Mas, muitos outros poderão estar envolvidos durante o tratamento, como, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais e psicólogos. É importante que todas as opções de tratamento sejam discutidas com o médico, bem como seus possíveis efeitos colaterais, para ajudar a tomar a decisão que melhor se adapte às necessidades de cada paciente.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

comentários

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Sobre o autor | Website

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal de Maranhão(UFMA), do CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal de Maranhão(UFMA). Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.